Poemas

Vencedor

– 20/01/2014

Toma as espadas rútilas, guerreiro,
E à rutilância das espadas, toma
A adaga de aço, o gládio de aço, e doma
Meu coração – estranho carniceiro!

Não podes?! Chama então presto o primeiro
E o mais possante gladiador de Roma.
E qual mais pronto, e qual mais presto assoma
Nenhum pôde domar o prisioneiro.

Meu coração triunfava nas arenas.
Veio depois um domador de hienas
E outro mais, e, por fim, veio um atleta,

Vieram todos, por fim; ao todo, uns cem…
E não pôde domá-lo enfim ninguém,
Que ninguém doma um coração de poeta!

 

 

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos nasceu em 20 de abril de 1884, no Engenho Pau d’Arco, Paraíba. Autor de um único livro: Eu (1912). Após a morte do escritor, em 12 de novembro de 1914, foram acrescentados mais alguns poemas ao livro, e o título passou a ser Eu e outras poesias. Cheios de lirismo e melancolia, os poemas utilizam um vocabulário científico. Os textos abordam temas como a morte, cemitérios e hospitais, entre outros.

Deixe um comentário

Nome *




* Campos obrigatórios

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba atualizações do site

Powered by FeedBurner

 

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!

 

 

Copyright © 2009 Literatsi. Todos os direitos reservados.
Powered by WordPress