Poemas

Entre bocarras e punhos

– 10/03/2015
Boca aberta e cinco punhos

Imagem: Vector Portal e Open Clipart.

 

As bocarras de muitos se abrem

destemidamente e soltam ardor

As cabeças de poucos se abrem

inconscientemente para onde for

Os punhos dos febris se lançam

violentamente e marcam o rosto

Os rascunhos dos gentis nascem

irracionalmente do tique do seu corpo

 

Em farra de todos os bois

Em batalha de tantos loucos

Em morte de vários santos

Em sangue de monstros tortos

 

Feitos de bocarras

Feitos de cabeças

Feitos de punhos

Feitos de rascunhos

 

Cada um explora o se ou o talvez

Cada qual ignora o poder de escolha

Cada um liberta o pois ou outra vez

Cada qual escreve a vida em uma folha

 

 

Cristiane Vieira de Farias nasceu no ano de 1987, em São Paulo. Escreve há 17 anos. Formou-se em Produção de Música Eletrônica e atualmente estuda Operação de Áudio. Trabalhou com curta- metragem, nas funções de produção, roteiro, direção e assistência. Escreve contos, crônicas, poesias, letras de música, roteiro de curta-metragem, videoclipe e dramaturgia.

 

Texto publicado na edição 1 da revista Eels.

Voltar ao sumário

Deixe um comentário

Nome *




* Campos obrigatórios

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba atualizações do site

Powered by FeedBurner

 

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!

 

 

Copyright © 2009 Literatsi. Todos os direitos reservados.
Powered by WordPress