Poemas

Colesterol

– 15/06/2015
Colesterol

Montagem feita a partir de imagem de Ara (Vectorportal.com).

 

Óleo de argan nos cabelos secos,

a secura de um útero estéril,

a secura de um crânio morto há sete anos…

 

Óleo de aloe vera jorrando

de katanas enterradas em cada olho.

 

Óleo untando a cara fresca de queijo

que tem o homem rato,

atado pelo medo, convencido de tudo…

 

Óleo entupindo veias áridas,

poros e cavidades habitadas por aranhas.

 

Óleo de girassol nas correntes da escravidão,

para as polias não pararem de rodar.

 

Óleo de linhaça pra desentalar o coração encasulado

em fios de seda para nascer livre borboleta.

 

Fugitivos marinhos derrapando em petróleo difuso no mar,

sendo pegos em repente asfixia…

 

Manteiga derretida pra engolir melhor a decepção.

 

Óleo de soja encerando os tímpanos negligentes

de quem não compra as gorduras trans.

 

Iaiá Sandim nasceu Eliara com Sol em Aquário, no ano 1994 em Goiânia. Começou a escrever aos 14 anos, tentando colocar as palavras para dançar a música que sua alma tocava. Hoje estuda arquitetura e mistérios cósmico-filosóficos. Prezando pela simplicidade, vive buscando a elevação e o supraprazer catártico que só coisas autênticas podem proporcionar.

 

Texto publicado na edição 2 da revista Eels.

Voltar ao sumário

Deixe um comentário

Nome *




* Campos obrigatórios

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba atualizações do site

Powered by FeedBurner

 

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!

 

 

Copyright © 2009 Literatsi. Todos os direitos reservados.
Powered by WordPress